Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Eixo Atlântico concretiza propostas para prevenção e combate a incêndios
Guerreiras do Minho dão passo gigante para o título em Lisboa

Eixo Atlântico concretiza propostas para prevenção e combate a incêndios

Musealização das ruínas romanas das Carvalheiras cria parque urbano

Alto Minho

2018-10-18 às 06h00

Teresa M. Costa

Apresentado o relatório que aponta o caminho, com propostas concretas, para a cooperação transfronteiriça na prevenção e extinção de incêndios florestais na euro região Norte de Portugal/Galiza.

É com um relatório, elaborado por técnicos e fundamentado na realidade do território que o Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular lança as bases para uma cooperação transfronteiriça na prevenção e extinção de incêndios florestais.
O relatório foi ontem apresentado em Vigo, na sede do Eixo Atlântico, numa conferência de imprensa que juntou o coordenador do trabalho, o docente da Universidade de Vigo e especialista da Comissa?o de Estudo do Parlamento da Galiza para a análise das reformas da política florestal, de prevença?o e extinça?o de ince?ndios e do Plano Florestal, Juan Picos Martín; o presidente do Eixo Atlântico Alfredo García, e o secretário-geral da entidade, Xoán Vasquez Mao.
As propostas do Eixo Atlântico entroncam na criação de uma Unidade Coordenadora de Emergências transfronteiriça, há muito reivindicada, mas ainda por concretizar.
O secretário-geral do Eixo Atlântico lembra que a proposta de criação de uma Unidade Central Coordenadora de Emergências já tem quatro anos, mas ainda não foi acatada pelos governos português e espanhol.
Xoán Mao Vasquez sublinha que esta Unidade Coordenadora deve resultar de uma cimeira ibérica, estando a próxima agendada para 21 de Novembro.
Há quatro anos que o Eixo Atlântico insiste na proposta, mas é a primeira vez que os municípios avançam com um estudo e com as propostas, vertidas no relatório ontem apresentado que pretende que “consciencializar os dois governos para as decisões que precisam de tomar” sublinha o secretário-geral daquela entidade.
Por enquanto, existe cooperação transfronteiriça que chega aos 35 quilómetros de um e do outro lado da fronteira, mas o Eixo Atlântico defende que o trabalho conjunto se estenda à planificação da prevenção e à planificação do combate.
O relatório está alicerçado no estudo da realidade do Norte de Portugal e Galiza em matéria de incêndios florestais.
O trabalho foi coordenado por Juan Picos que trabalhou com o técnico especialista em incêndios florestais da Protecção Civil de Espanha ao serviço da Generalitat da Catalunha, Marc Castellnou, e com o engenheiro florestal que é coordenador técnico do Grupo de Análise e Uso do Fogo e do Grupo de Especialistas de Fogo Controlado e que integrou a Comissa?o Te?cnica Independente da Assembleia da Repu?blica Portuguesa sobre os ince?ndios de Junho e Outubro de 2017, António Salgueiro.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.