Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Eduardo Duque: “A espiritualidade é o caminho para se encontrar o sentido da vida”
“Estamos focados em vencer cada jogo em que entramos”

Eduardo Duque: “A espiritualidade é o caminho para se encontrar o sentido da vida”

Município planta 10 mil árvores na Cabreira

Braga

2019-02-10 às 08h00

Marta Amaral Caldeira

Eduardo Duque, professor de Sociologia e sacerdote, conduziu, ontem, o ‘Café Memória’ promovido pelo Município de Braga na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, onde incentivou à espiritualidade como forma de dar “sentido à vida”.

“Os seres humanos são dotados de uma natureza tal que não deveriam apenas possuir bens materiais, mas deveriam antes possuir sustento espiritual. Sem o sustento espiritual, torna-se difícil adquirir e manter a paz de espírito”.
Dalai Lama

“A espiritualidade é o caminho para se encontrar o sentido da vida”, independentemente do credo ou religião que se tiver. Este apoio que se pode encontrar na espiritualidade foi, ontem descortinado por Eduardo Duque, sacerdote e professor de Sociologia, em mais uma ‘Café Memória’, que atraiu algumas dezenas de bracarenses à Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva.
“É importante olhar para o sofrimento com olhos de esperança e para a capacidade que cada pessoa tem de encontrar sentido para a sua vida”, indicou o palestrante, apontando que hoje se vive um “tempo interessante”, em que as pessoas querem muito encontrar esse caminho da espiritualidade, mas olhando só para si e aí é mais difícil encontrá-la.

“Creio que é muito importante termos uma referência que nos faça viver - que não sejam só forças internas dentro de nós próprios, mas que seja algo que nos faça ir mais longe e resgatar a esperança que precisamos para a nossa vida, que para os cristãós é através de Cristo e que para os mulçumanos é Maomé - no fundo, trata-se de termos modelos para a nossa vida para que os sigamos”.

Eduardo Duque explicou aos participantes deste ‘Café Memória’ que a espiritualidade se encontra no silêncio, na reflexão, na pausa, nos pormenores. “Penso que estamos numa fase da civilização e num tempo profundamente espiritual e já não estamos tanto num tempo tão religioso”, afirmou. “As pessoas precisam muito de encontrar um sentido para a vida e sabem também que esse sentido é encontrado pela vida a espiritualidade”.
A propósito do Dia Mundial do Doente, que se celebra no próximo dia 11, Eduardo Duque assinalou que a dimensão medicamentosa é importante no trata- mento das doenças, mas que é preciso que o doente não descure também uma outra dimensão igualmente crucial: a da espiritualidade, pois é ela que lhe dá de volta a esperança à vida.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.