Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Dia de Martim celebra “bairrismo saudável” das gentes da freguesia
Comunidades Intermunicipais anseiam pelo reforço de verbas para investimentos

Dia de Martim celebra “bairrismo saudável” das gentes da freguesia

MARB deu dicas para um Natal saudável

Cávado

2018-08-16 às 10h00

Paula Maia

TRADIÇÃO voltou a cumprir-se, demonstrando o espírito de união que impera na freguesia. Pelo recinto da festa passaram perto de 3 mil pessoas.

Barcelos
| Paula Maia |

Os martinenses voltaram a unir- -se para celebrar o Dia de Martim. É assim há já 17 anos. O feriado de 15 de Agosto trans- forma-se anualmente numa verda- deira jornada de convívio, ou melhor, numa reunião de família. E motivos não faltam para celebrar. Em primeiro lugar porque é feriado nacional. Em segundo porque é neste dia que se celebra a padroeira da freguesia, Santa Maria, e, em terceiro, porque é nesta altura que muitos emigrantes regressam à terra para visitar a família. Ingredientes que fazem deste um dia especial, onde o “bairrismo saudável” das gentes desta freguesia sobressai. É desta forma, neste modo de estar e ser, que os martinenses se distinguem dos demais, sem alimentar preciosismos.
No Dia de Martim há lugar para todos, residentes e não residentes, acolhendo também amigos que pretendem juntar-se à festa.
O programa festivo começou bem cedo com a eucaristia dominical, também ela de festa pela celebração dos 50 anos de sacerdócio do pároco local, “uma pessoa fantástica”, segundo palavras do presidente da Junta de Freguesia de Martim, António Carvalho.
Durante a manhã tiveram lugar provas de Atletismo em vários escalões e um prova de BTT.
A hora de almoço é marcada pelo mega-piquenique que tão bem caracteriza este convívio anual. Cada um traz o seu farnel que acaba por ser partilhado, como fazem as famílias.
A tarde foi preenchida com jogos para todos as idades e ideais. Ninguém é excluído.
A animação musical também marcou presença e, como não podia deixar de ser, coube às colectividades da terra essa tarefa. O primeiro grupo a subir ao palco foi o Rancho Folclórico da Casa do Povo de Martim.
Para ‘confortar’ os estômagos e dar novo ânimo ao convivas teve lugar, já no final da tarde, a tradicional sardinhada, acompanhada pelo caldo verde e outros petiscos.
À noite o folclore deu lugar à música de baile, também a cargo de um grupo da freguesia.
Durante todo o dia, os mais novos tiverem também oportunidade de desfrutar de um conjunto de diversões que deram corpo a um ‘parque’ preparado para o efeito.
“Este é um dia completamente diferente, onde todos conseguem co-habitar num espaço fantástico. Conseguimos ver aqui pessoas de todas as ideias, de todos os ideais”, afirma António?Carvalho, ressalvado que Martim é uma freguesia com características muito próprias, onde o “bairrismo saudável” e a “união entre as pessoas” constituem factores distintivos no panorama autárquico.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.