Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Cruz Vermelha de Amares quer ter Posto de Emergência Médica do INEM
Associação de Moradores das Lameiras quer deixar “Marc@as” na comunidade

Cruz Vermelha de Amares quer ter Posto de Emergência Médica do INEM

Mercadona abre primeira loja em Braga com garantia de qualidade a preços baixos

Cruz Vermelha de Amares quer ter Posto de Emergência Médica do INEM

Cávado

2019-10-21 às 06h00

Isabel Vilhena Isabel Vilhena

A Delegação de Amares da Cruz Vermelha Portuguesa tem mais dez socorristas que ontem juraram compromisso. O presidente da Cruz Vermelha de Amares afirma que esta delegação tem todas as condições para ter Posto de Emergência Médica.

“Somos posto de reserva do INEM e, atendendo ao número de saídas anuais que fazemos, que anda nos 1.700 de emergência INEM, justificaria ser posto efectivo de emergência médica (PEM)”. O desejo manifestado ontem pelo presidente da Cruz Vermelha de Amares, Mário Mendes, na cerimónia de juramento de compromisso de dez socorristas voluntários que irão juntar-se aos restantes 72 elementos da delegação de Amares da Cruz Vermelha.
Na ocasião foi também benzida uma viatura da Cruz Vermelha de Amares que irá reforçar o parque de viaturas de emergência que passará a ter quatro. Um reforço que, segundo Mário Mendes, “reúne todas as condições para ser posto de INEM”, porém, acrescenta que “o Instituto nacional de Emergência Médica (INEM) tem como critério principal na atribuição do Posto de Emergência Médica o número de habitantes, mas cerca de 60 por cento dos serviços de emergência que fazemos são para concelhos vizinhos como Braga e Vila Verde. Eles não têm capacidade de resposta e nós somos chamados”.

O presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, salientou a importância do serviço prestado por esta delegação da Cruz Vermelha.
“É de extrema importância para o concelho e para o distrito. Esta casa de Amares é uma referência a nível distrital e estes jovens que hoje fazem juramento estão de parabéns pela nobre missão que vão assumir”. Por seu turno, Armando Osório, presidente da delegação de Braga da Cruz Vermelha portuguesa, também salientou a importância e simbolismo desta cerimónia para a Cruz Vermelha.

“É hoje que mais que um grupo de jovens presta o seu juramentde compromisso, associando-se assim aos cerca de 97 milhões de membros desta grande família dispersos por 191 países, dos quais se destacam cerca de 13 milhões de voluntários”, afirmou Armando Osório, dirigindo palavras de incentivo aos dez novos voluntários que passaram a integrar a estrutura operacional de emergência desta delegação. “Estes dez voluntários que irão enriquecer a Cruz Vermelha Portuguesa, dedicarão muito do seu tempo livre a uma causa humanitária, prestando serviços que reflectem a nossa determinação de fazer mais para promover o desenvolvimento, prevenindo e reduzindo as causas subjacentes à vulnerabilidade”.

O presidente da delegação de Amares da Cruz Vermelha lembrou que esta é a 16.ª escola de formação de socorristas, realçando que quem a integra “é por vocação”.
Mário Mendes salientou o papel dos socorristas que “são o rosto e o porta-voz da delegação. É gente com formação que dá a cara no dia-a-dia pela Cruz Vermelha de Amares”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.