Correio do Minho

Braga,

Cerveira tem em curso empreitada de limpeza florestal em 37 hectares
Galaicofolia valoriza o património cultural de Esposende

Cerveira tem em curso empreitada de limpeza florestal em 37 hectares

“O vinho verde é uma imagem de marca de toda esta região”

Alto Minho

2018-02-20 às 22h29

Redacção

Operação, com um investimento de cerca de 50 mil euros, consiste na instalação de faixas de redução de combustível na rede primária de quatro freguesias do concelho, numa área de 37 hectares.

Pela preservação da vasta mancha verde que abraça o seu território, o município de Vila Nova de Cerveira está a promover um programa de acção com medidas preventivas para a defesa da floresta contra incêndios e um conjunto de sessões de sensibilização e informação junto das populações para a limpeza de terrenos e das faixas de gestão de combustível.

A política interventiva encetada visa a protecção e a prevenção através do reforço da instalação de faixa de redução de combustível e de faixa de interrupção de combustível da rede primária, em terreno não privado. Neste sentido, a autarquia cerveirense viu aprovada uma candidatura apresentada ao Eixo Prioritário 2 do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência de Recursos (POSEUR) que contempla acções de corte e remoção ao nível dos estratos arbóreo, arbustivo e subarbustivo ao longo de 37 hectares distribuídos por quatro freguesias: Gondarém, Loivo, União de Freguesias de Reboreda e Nogueira e União de Freguesias de Vila Nova de Cerveira e Lovelhe.

Para o edil cerveirense, o dramático cenário vivido no último verão levou o Governo a tomar algumas medidas imediatas que colocam os cidadãos e os Municípios também sob pressão para se minimizar uma situação de abandono de florestas que já se arrasta há 40 anos.
Não vamos fugir à responsabilidade, daí que temos feito a sensibilização e as intervenções possíveis, para dar o nosso melhor contributo nesta matéria. Contudo, claramente nenhum dos 308 municípios portugueses vai cumprir na íntegra todas as recomendações, por um lado, porque são poucos os que têm o cadastro, e por outro lado, por ser tecnicamente, humanamente e financeiramente impossível cumprir estas medidas, assegura Fernando Nogueira.
Com execução até ao final do mês de Março, os trabalhos já iniciados respeitam a metodologia proposta no Manual da Rede Primária do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Enquadrada numa candidatura ao POSEUR, com um investimento de cerca de 44 mil euros, cofinanciado pelo Fundo de Coesão em 85%, a presente operação em curso reforça a gestão face aos riscos numa perspectiva de resiliência, capacitando as instituições envolvidas.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.