Correio do Minho

Braga, sábado

Centurium chama professores para jogarem final do torneio
Um dos perigos do futuro é que a política vire religião

Centurium chama professores para jogarem final do torneio

Bombeiro vítima de Pedrógão inaugura Presépio ao Vivo de Priscos

As Nossas Escolas

2018-05-07 às 06h00

Patrícia Sousa

No próximo dia 25 de Maio realiza-se a final da IX edição do Torneio de Jogos Romanos de Tabuleiro, que conta com mais de 200 participantes. Pela primeira vez, professores também vão jogar.

A final da IX edição do Centurium - Torneio de Jogos Romanos de Tabuleiro está marcada para o dia 25 de Maio, no Museu D. Diogo de Sousa, e estão já inscritos 210 concorrentes. Os números ultrapassam as expectativas, mas a grande novidade desta edição é a realização de um torneio para professores. Vamos ter casa cheia é certo, mas o inédito este ano é o desafio lançado aos professores para eles também jogarem, anunciou o mentor do Centurium, Paulo Morais, admitindo que faz todo o sentido isso acontecer, porque os professores são a alma do projecto.

A ideia surgiu do professor de Educação Física, Hugo Romano, da EB2,3 Caíde de Rei, que pertence ao Agrupamento de Escolas Lousada Este. É nesta escola que se realizou a formação para professores e o professor Hugo é um apaixonado pelos jogos e inspirado nos jogos lançou este repto, contou Paulo Morais, adiantando que o torneio, para o qual os professores vão ser convidados, vai centrar-se no jogo seega.
Neste momento, estão inscritas 21 escolas provenientes de Braga, Barcelos, Porto, Valongo, Penafiel, Lousada, Marco de Canaveses, Ribeira do Neiva, Vila Pouca de Aguiar e Pedras Salgadas.

E os números deste ano continuam a demonstrar o sucesso deste projecto educativo. Fica mais fácil de compreender se olharmos para os número por jogo, no total são 85 tabuleiros: 70 moinhos; 52 soldados; 20 seegas e 28 tábulas, referiu ainda o professor de Matemática.
De destacar que, na edição deste ano, a aposta foi mais para a formação para professores do 1.º ciclo e das áreas de Educação Visual, Geografia, Física e Química, Ciências Naturais, História e TIC.
Até aqui trabalhámos de forma espontânea, a partir desta edição formamos grupos de professores que articulam o projecto de forma flexível. Aliás, o Centurium é um excelente exemplo de flexibilização nas escolas, assumiu aquele responsável, aplaudindo o envolvimento da comunidade, sobretudo da associação de pais.
O Centurium tem sido, ainda nas palavras de Paulo Morais, um trabalho muito interessante que começou na Matemática e já vai muito além desta área de formação, tal como começou em Braga, mas já ultrapassou muitas fronteiras.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.