Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Câmara de Famalicão quer melhorar área envolvente da ponte da Lagoncinha
Chamas destruíram arrecadação de carpintaria em Carvoeiro

Câmara de Famalicão quer melhorar área envolvente da ponte da Lagoncinha

Viana do Castelo investe 2 milhões em apoios sociais, promoção do sucesso escolar e projetos educativos

Vale do Ave

2018-08-04 às 09h00

Miguel Viana

Autarquia já está a elaborar um projecto para definir as intervenções a serem feitas no local. Ponte foi alvo de obras de conservação avaliadas em cerca de 154 mil euros

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão pretende remodelar a àrea envolvente da ponte da Lagoncinha, na freguesia de Lousado. A intenção foi manifestada pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, numa visita de trabalho à ponte, que foi alvo de intervenção municipal.
O objectivo é melhorar a qualidade de vida da população.
“Mais do que de atravessamento é um espaço de contemplação. Há muitas pessoas que querem estar nesta envolvente, querem apreciar a sua ponte”, afirmou Paulo Cunha.
A autarquia já solicitou algumas ideias à Junta de Freguesia de Lousado. “A intervenção aqui está condicionada do ponto de vista patrimonial por causa da ponte, e do ponto de vista ambiental por causa do leito do rio. É preciso obter autorizações junto das entidades que tutelam a Cultura e da Direcção Geral do Ambiente. Está a ser elaborado um projecto para que depois possamos perceber que tipo de intervenções são possíveis”, alegou, Paulo Cunha.
Em declarações aos jornalistas, o autarca famalicense manifestou o desejo de que a ponte seja transformada numa travessia pedonal, o que para já não é possível. “Para que a ponte seja pedonal é preciso que o Governo da nação crie soluções alternativas, o que não existe neste momento. Não podemos pura e simplesmente fechar a ponte que é muito utilizada. É uma zona de passagem entre Famalicão e Santo Tirso, e temos que ter isso em conta”.
O?autarca famalicense adiantou que já foram feitos vários contactos no sentido de ser construída uma alternativa à ponte da Lagoncinha. “Tivemos oportunidade de falar com a IP (Infraestruturas de Portugal), quer com o Ministério das Infrestruturas, para a necessidade de proteger este elemento cultural tão relevante para o país, para o concelho e para a região”, disse Paulo Cunha.
O presidente da Junta de Freguesia de Lousado, Jorge Ferreira, manifestou também que a substituição da ponte da Lagoncinha é um desejo população, até porque não existem alternativas.
“Só temos alternativas na (estrada) nacional 14 e temos em Santo Tirso, mas estamos a falar de 10 a 15 quilómetros para Santo Tirso e 7 a 8 quilómetros para o lado da Trofa”, explicou Jorge Ferreira, que acrescentou que a ponte une a freguesia, pelo que é travessada por dezenas de automóveis e pessoas por dia. “Uma alternativa era muito importante”, frisou Jorge Ferreira.
Sobre os melhoramentos da área envolvente, o autarca de Lousado referiu que “o que os serviços vão tentar fazer um esboço do que a câmara pode fazer aqui, para as pessoas terem um sítio para descansar”.
A intervenção camarária na Ponte da Lagoncinha custou cerca de 154 mil euros. Parte dessa verba (128 mil euros) foi financiada pelo Programa Operacional Regional do Norte - Norte 2020, através do Fundo Europeu do Desenvolvimento Regional. Os trabalhos consistiram na limpeza e tratamento das cantarias de granito, no restauro e nivelamento do tabuleiro da ponte e na consolidação das fissuras existentes.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.