Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Braga tem todas as condições para acolher Agência Europeia do Medicamento
Marcelo contra populismo e a favor da renovação política

Braga tem todas as condições para acolher Agência Europeia do Medicamento

Vila Nova de Famalicão: Salvaguarda dos valores de Abril preocupa

Braga

2017-06-19 às 20h11

Redacção

O Município de Braga vai entregar ao Governo uma recomendação para que a Cidade seja tida em conta no processo da possível instalação da Agência Europeia do Medicamento em Portugal. Para Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, o processo de elaboração da candidatura encetado pelo Governo deveria ter sido mais aberto e participado, referindo que “Braga tem todas as condições para acolher a Agência”.

O Município de Braga vai entregar ao Governo uma recomendação para que a Cidade seja tida em conta no processo da possível instalação da Agência Europeia do Medicamento em Portugal. Para Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, o processo de elaboração da candidatura encetado pelo Governo deveria ter sido mais aberto e participado, referindo que “Braga tem todas as condições para acolher a Agência”.

“Mais do que uma lógica estritamente centralista, que sempre tem estado presente nas decisões dos vários Governos, este processo encerra uma enorme falta de transparência e rigor. Não é possível perceber como é que o Governo avalia e determina a escolha de uma cidade sem promover qualquer tipo de auscultação ou de avaliação prévia de alternativas”, frisou o Autarca Bracarense no final da Reunião do Executivo Municipal que teve lugar hoje, 19 de Junho, nos Paços do Concelho.

Reconhecendo que a possibilidade de Portugal vir a ter uma candidatura vencedora é “limitada e muito exigente face à concorrência internacional”, Ricardo Rio considerou que, numa primeira instância, o Governo deveria avaliar as cidades com condições para poder vir a acolher a Agência e, só depois, convergir esforços nessa candidatura.

Por outro lado, acrescentou o Edil, este é um “processo que exige uma opção política clara” já que, a instalação da Agência em Lisboa, não terá o mesmo impacto ao nível do desenvolvimento do território como teria se fosse instalada em Braga ou mesmo no Porto.
“O Governo teria de sair da sua zona de conforto e olhar para o país no seu todo e perceber que este tipo de decisões têm impacto directo nos níveis de desenvolvimento das regiões e no bem-estar das populações”, sustentou, reiterando a “profunda convicção de que Braga tem todas as condições para acolher a Agência”.

Outro dos assuntos abordados na Reunião do Executivo foi a execução do Parque das Sete Fontes, um processo que a Autarquia pretende que seja “unânime e mobilizador de todas as forças políticas, das instituições públicas, associações e cidadãos”.

Depois de apresentado o Plano de Execução, Ricardo Rio considera que “é importante que continue a existir uma forte mobilização em torno do Parque das Sete Fontes e da valorização do respectivo património. Braga merece este espaço e para que seja uma realidade o mais rapidamente possível todos temos de colaborar nesse sentido”, afirmou.

O Edil lembrou que, durante o actual mandato Autárquico, foram vencidas várias etapas e cumpridos passos extremamente importantes para a concretização do parque. “O Parque das Sete Fontes não é algo que se possa criar de um momento para outro. O que queremos é um processo de participação pública o mais transparente e alargado possível, com o envolvimento de todos”, referiu Ricardo Rio, anunciando que “serão realizadas reuniões com as diversas entidades no sentido de dar a conhecer as opções tomadas pelo Município e para recolher contributos”.

Voto de pesar pela tragédia de Pedrogão Grande
Na reunião desta Segunda-feira, o Executivo Municipal aprovou, por unanimidade, um voto de pesar pela tragédia ocorrida este fim-de-semana em Pedrogão Grande. “Num momento de dor como este, manifestamos o nosso profundo pesar pelas vidas perdidas neste trágico incêndio e enaltecemos o trabalho que está a ser desenvolvido no terreno por todas as entidades envolvidas no combate às chamas e no auxílio às populações”, afirmou Ricardo Rio.

*** Nota da C.M. de Braga ***

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.