Correio do Minho

Braga, terça-feira

Bienal dá palco à arte sacra contemporânea
SC Braga entra a ganhar no campeonato com vitória sobre o Nacional por 4-2

Bienal dá palco à arte sacra contemporânea

Exposição ‘Minhotos de pele salgada’ convida a uma visita

Braga

2018-05-17 às 13h00

Teresa M. Costa

Braga acolhe a I Bienal Internacional de Arte Sacra Contemporânea, uma iniciativa pioneira que dá espaço a artistas nacionais e de outros países, havendo já 130 pré-inscrições.

Já há 130 pré-inscrições de artistas que querem apresentar os seus trabalhos na I Bienal Internacional de Arte Sacra Contemporânea de Braga e as inscrições estão abertas até 31 de Maio para uma iniciativa pioneira em Portugal e aberta ao mundo.

A iniciativa, que ontem foi apresentada, partiu de um desafio da Associação Cultural Atlas Violeta abraçado pelo Museu Pio XII e pelo Município de Braga e fará de Braga o centro da arte sacra contemporânea entre 3 de Agosto e 3 de Setembro.

A I Bienal Internacional de Arte Sacra Contemporânea pretende reatar a ligação entre a Igreja e a arte, pelo olhar actual dos artistas, aponta o director do Museu Pio XII, cónego José Paulo Abreu, que destaca o objectivo de pôr a fé a inspirar a arte e a mestria.

Neste contexto, José Paulo Abreu fala de uma iniciativa importante para a cidade e para a Igreja e manifesta a expectativa de ter em Braga o que de melhor se produz, não só em Portugal, mas no mundo em termos de arte sacra.
O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, lembra que Braga sempre foi uma cidade ligada à arte sacra e destaca o espólio vastíssimo existente na cidade e fora dela.

O edil bracarense realça o carácter pioneiro desta bienal internacional que vem dar oportunidade a outra forma de expressão artística da arte sacra mais contemporânea e acredita no sucesso da iniciativa que promete conquistar os seus créditos a nível internacional e estimular os artistas locais nas áreas da pintura, escultura e instalação.

Queremos que os bracarenses possam desfrutar e ficar mais sensíveis a esta forma de arte afirma Ricardo Rio.

Para o presidente da Atlas Violeta, António Bernardini, ó objectivo é sempre promover a cultura e, neste caso, atrair o que há de novo na arte sacra.

São já 130 as pré-inscrições, mas apenas 50 terão espaço nesta I Bienal, onde haverá prémios para os três primeiros.
Além dos três prémios, haverá um prémio para a obra escolhida pelo público.

Os três primeiros prémios - que não são monetários - serão escolhidos pelo júri que corresponde à comissão de honra da I Bienal Internacional de Arte Sacra Contemporânea.

O artista Santiago Belacqua, que também se dedica à arte sacra e que integra a comissão de honra, revelou que já há inscrições da Bósnia, da Geórgia, de Espanha, Alemanha e França.
Os prémios da I Bienal Internacional de Arte Sacra Contemporânea serão entregues numa gala a realizar no Theatro Circo.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.