Correio do Minho

Braga,

Bernardo Reis: a biografia de um homem de causas
Três minhotos na selecção de Andebol que defronta Roménia em St.º Tirso

Bernardo Reis: a biografia de um homem de causas

FC Famalicão assina parceria internacional com Hyundai

Braga

2018-09-07 às 14h00

Isabel Vilhena

Assumido homem de causas, a biografia de Bernardo Reis, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Braga, foi apresentada publicamente, dando a conhecer uma vida cheia nos diferentes quadrantes da sociedade.

“Uma merecida homenagem a um Homem que dedicou a sua vida a causas nobres, incansável na prossecução das mesmas, sempre imbuído de qualidades humanas e grande sentido de estética”. Pode ler-se no prefácio da biografia de Bernardo Reis, escrito por Irene Montenegro, que aconselha, vivamente, o leitor acompanhar “o percurso de Bernardo Reis, um cidadão do mundo, natural de Pico de Regalados, Vila Verde, enriquecido pela sua vivência em diferentes paragens e culturas”.
“Fascinadas pela personalidade de Bernardo Reis”, as autoras da obra - Marta Lobo e Alexandra Esteves - consideram esta obra “uma merecida homenagem” ao actual provedor da Santa Casa da Misericórdia de Braga pelo “seu percurso de vida brilhante, que muita gente não conhece, riquíssimo, diversificado e seria muito útil para a sociedade dá-lo a conhecer”. Marta Lobo fala de uma vida cheia nos vários quadrantes da sociedade, na cultura, enquanto gestor, enquanto especialista de minas e metais preciosos, na provedoria da Misericórdia onde desempenha um lugar de excelência, na ciência. É uma personalidade ímpar na sociedade bracarense e não só e que merecia ser biografia”.
Alexandra Neves afirma que esta biografia permite conhecer “o carácter e a rectidão de valores e princípios deste homem que nós conhecemos como provedor e que tem deixado a sua marca na cidade de Braga, noutros países e nas pessoas”, sublinhando que conhecer a vida de Bernardo Reis significa “conhecer um pouco da História de Portugal onde privou com algumas personagens da nossa história”.
Foi com “surpresa” e “alguma resistência” que Bernardo Reis aceitou o desafio de ser biografado. “Eu não sou dado a essas coisas, mas tive que aceitar e as autoras fizeram um trabalho notável”, contou ao ‘Correio do Minho’ Bernardo Reis.
Assumido homem de causas, o homenageado afirmou que, ao longo do seu percurso, a sua vida foi pautada pelo “humanismo”. Bernardo Reis confessou que, acima de tudo, sente-se “um homem feliz” porque sempre trabalhou para os outros. No final, ficou a promessa que, enquanto tiver saúde, continuará a “dar o melhor que posso, apesar dos meus 48 anos”, gracejou Bernardo Reis.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.