Correio do Minho

Braga, sábado

‘Alameda Literária’ deu nova vida à Feira do Livro de Braga
Circo de Papel traz alegria, partilha e magia ao Natal de Famalicão

‘Alameda Literária’ deu nova vida à Feira do Livro de Braga

Desfrute de iguarias distintas e um ambiente intimista ao seu ‘Bel-Prazer’

Braga

2018-07-16 às 06h00

José Paulo Silva

Chegou ao fim a 27.ª edição da Feira do Livro de Braga. Mudança da Avenida Central para o centro histórico mereceu aplausos de expositores e público.

Um “evento de sucesso que finalmente encontrou um espaço adequado”. Foi desta forma que a vereadora da Cultura, Lídia Dias, classificou a edição deste ano da Feira do Livro de Braga, que ontem encerrou.
A mudança da Avenida Central para a designada ‘Alameda Literária’ compreendida entre o Largo de S. João do Souto e a Rua Justino Cruz foi uma escolha acertada que, segundo a autarca, satisfez editores, livreiros e alfarrabistas, mas também os comerciantes daquelas artérias do centro da cidade e o público da Feira do Livro.

Assim sendo, a próxima edição da Feira do Livro de Braga manter-se-à na ‘Alameda Literária’, dado “o feed back positivo” registado com a mudança operada este ano.
Provavelmente também não haverá alterações de calendário, já que, apesar da coincidência de datas com as feiras do livro de Barcelos e de Viana do Castelo, Lídia Dias não antevê grandes alternativas à primeira quinzena de Julho para a realização da Feira do Livro de Braga ao ar livre, atendendo à restante programação cultural e recreativa da cidade. Um acerto de calendários entre os três eventos não está, no entanto posta de parte.
Sobre o espaço escolhido este ano para a realização da 27.ª edição da Feira do Livro de Braga, Lídia Dias entre que é “muito mais acolhedor e mais atractivo” na comparação com a Avenida Central, local onde o evento se realizou nos últimos anos. A ‘Alameda Literária vai “mais ao encontro ao espírito de uma feira do livro de rua”, alega.

Ainda sem dados objectivos sobre as vendas de livros por parte dos editores, livreiros e alfarrabistas presentes na Feira deste ano, a vereadora destaca a satisfação dos comerciantes instalados no Largo S. João do Souto, Rua Franscisco Sanches e Rua Justino Cruz com as duas semanas de animação cultural que se viveram naquelas artérias, com reflexos positivos nos seus negócios. “Os comerciantes ficaram satisfeitos com um evento qualificado como a Feira do?Livro de Braga que atraiu públicos interessantes para os seus negócios”, referiu.

A programação cultural da Feira do Livro de Braga, pelo segundo ano consecutivo assumido pela consultora ‘Booktailors’ é também entendida como “aposta ganha” por parte da vereação da Cultura da Câmara Municipal de Braga, considerando Lídia Dias um “não assunto” as reservas que os vereadores do Partido Socialista apresentaram em relação a esta opção. “Faz sentido este investimento na programação para que a comunidade fique sensibilizada para a importância do livro e da leitura”, considerou Lídia Dias, satisfeita com a forte afluência de público às tertúlias que trouxeram a Braga nomes como Lídia Jorge, Frei Bento Domingues, Simone de Oliveira, Rui Tavares, Joana Amaral Dias e José Luís Peixoto, entre outros.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.