Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Agrupamento comemora 200 anos de D. Maria II
Esposende continua a garantir água para consumo humano 100% Segura

Agrupamento comemora 200 anos de D. Maria II

Câmara apoia em 60 mil euros Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez

Agrupamento comemora 200 anos de D. Maria II

As Nossas Escolas

2019-10-21 às 06h00

Isabel Vilhena Isabel Vilhena

No ano do Bicentenário do nascimento da rainha, o Agrupamento de Escolas D. Maria II comemora esta data com um conjunto de actividades. O ritmo acelerado da evolução tecnológica obriga a repensar o sistema educativo. Este é um dos alertas do director do Agrupamento de Escolas D. Maria II que aponta ainda para uma crise acentuada de falta de professores.

Em Junho de 1964, foi inaugurado em Braga o Liceu Feminino, e como sua patrona foi escolhida a rainha D. Maria II, de cognome a educadora.
No ano do Bicentenário do nascimento da rainha, o Agrupamento de Escolas D. Maria II comemora a data, ao longo deste ano, com actividades, entre as quais um sarau, conferências e workshops.
Aliás, no início deste ano lectivo e no dia do professor, a figura da rainha D. Maria II, esteve ‘presente’ para dar as boas-vindas aos alunos e comemorar com os professores.

“O objectivo destas comemorações é conhecer melhor a mulher, a rainha, a sua época e o seu legado. O programa comemorativo, que se desenvolve ao longo do ano, conta com a participação de todos os alunos do agrupamento, desde o pré-escolar até ao 12.º ano, com actividades em que D. Maria II será sempre a referência”, explicou João Dantas, director do Agrupamento de Escolas D. Maria II.
No dia do seu nascimento, a 4 de Abril, a Escola Secundária D. Maria II, herdeira directa do Liceu Nacional D. Maria II, assinalará o ponto alto das comemorações da sua patrona. “No dia 4 de Abril, dia do nascimento de D. Maria II, será um momento alto das comemorações que culminará com um vasto programa de actividades”, assinalou João Dantas.

Após um mês do início do ano lectivo, o director do Agrupamento de Escolas D. Maria II dá nota de algumas preocupações ao nível do quadro de assistentes operacionais, embora reconheça que o “maior problema está em vias de ser resolvido. Temos dois concursos para admitir cinco assistentes operacionais para o quadro e mais dois a tempo parcial. Com estes dois elementos, a situação ficará resolvida”. João Dantas lembra que o espaço é imenso e estas contratações só vêm substituir os funcionários que foram mobilizados para a Segurança Social. O ano passado perdemos dez funcionários do agrupamento para a Segurança Social de Braga e estes assistentes operacionais que vão entrar vêm repor a situação anterior”.

Sistema de ensino não acompanha velocidade da evolução tecnológica

O ritmo acelerado da evolução tecnológica é um desafios das escolas deste século XXI. “Hoje os jovens têm mais dificuldade de concentração e tudo o que lhes passa é muito rápido. Eles são consumidores de imagens, de todo o tipo de tecnologia e a aula é lenta”, afirmou João Dantas, director do Agrupamento de Escolas D. Maria II, defendendo um “ensino mais interactivo no sentido de pôr os alunos a pensar mais, ajudando a desenvolver o espírito crítico”.

Outro desafio apontado por João Dantas é o cenário da falta de professores. “É uma crise bastante acentuada que vamos ter com a falta de professores. O corpo docente está bastante envelhecido que, no caso do Agrupamento D. Maria II, temos uma média acima dos 56 anos”, afirmou o director do agrupamento, responsabilizando a administração pelo desinvestimento na classe dos professores. “Há um claro desinvestimento nos professores. As famílias são muito mais exigentes. A forma como os professores são tratados e, muitas vezes, desrespeitados e o esforço que lhes é exigido para que a aula corra bem é muito grande”. Neste capítulo, João Dantas esclarece que “a crise da falta de professores ainda não é tão visível devido à demografia. Há menos alunos e o número de professores ainda vai conseguindo colmatar as necessidades”.

A multiculturalidade e interculturalidade é uma das marcas deste Agrupamento de Escolas D. Maria II. No total, existem 419 alunos estrangeiros, sendo que a maioria são brasileiros (339), mas há alunos de 24 nacionalidades como Itália, Angola, Síria, Bangladesh, Timor, entre muitas outras.
“A multiculturalidade no agrupamento é vivida de uma forma bastante intensa. Apesar de recebermos estes alunos há algum tempo, esta é uma situação nova com esta dimensão e intensidade”, contou João Dantas, acrescentando que “tivemos de nos adaptar, destacando uma docente especializada em português língua não materna que dá um apoio semanal ao grupo de alunos que está com mais dificuldade na aprendizagem de português”.

Quanto a novos projectos, o director do Agrupamento afirma que em matéria de desporto escolar, para além da oferta tradicional (voleibol, andebol, natação), este ano abriram grupos de dança e BTT. O clube de fotografia é outra novidade este ano lectivo na Escola Secundária D. Maria II.
Este agrupamento ostenta o Selo ‘Escola Saudável’ pelas práticas quotidianas de promoção de saúde e bem-estar da comunidade educativa. Outro selo que mostram com “orgulho” é o da ‘Escola Amiga da Criança’, na categoria Cidadania/ou inclusão, com o projecto ‘Lamaçães Contra o Bullying’ que consistiu em várias acções de sensibilização da comunidade escolar em relação à problemática do Bullying.
João Dantas realça também as parcerias com a Associação de Pais no apoio às actividades de apoio à família e na dinamização da oferta extra-curricular.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.