Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Acusada de matar companheiro alega que foi acidente
Criança mordida por cobra em Braga... réptil ilegal pode dar multa até 20 mil euros

Acusada de matar companheiro alega que foi acidente

Novembro com estreias na Casa das Artes de Famalicão

Acusada de matar companheiro alega que foi acidente

Casos do Dia

2019-09-10 às 06h00

Redacção Redacção

Uma mulher acusada de matar à facada o companheiro em Fafe, em 2017, alegou que se tratou de um acidente, numa altura em que os dois se empurravam mutuamente. O MP acusa-a de homicídio qualificado e de violência doméstica agravada.

Uma mulher acusada de matar à facada o companheiro em Fafe, em Outubro de 2017, alegou hoje que se tratou de um acidente, numa altura em que os dois se empurravam mutuamente.
No início do julgamento, ontem no Tribunal de Guimarães, a arguida, de 23 anos, disse que, num primeiro momento, nem sequer se apercebeu que o companheiro tinha sido atingido pela faca.
Disse ainda que, após ouvir o companheiro pedir socorro, ligou imediatamente para o INEM e foi ministrando os primeiros socorros à vítima, de acordo com as orientações que lhe iam sendo dadas.
Num testemunho emocionado, a arguida contou que, após mais uma discussão conjugal, pegou numa faca de cozinha com intenção de furar os pneus do carro do companheiro, o que acabaria por não fazer, por alegada falta de coragem.

Quando, ainda com a faca na mão, tentava entrar em casa, o companheiro terá tentado impedi-la, tendo os dois ficado a empurrar-se mutuamente. Ele largou-me de repente, eu entrei, pousei a faca no sítio dos talheres lavados e ia-me vestir, quando ele começou a gritar a pedir ajuda, relatou. Só aí se terá apercebido que o companheiro tinha um corte na zona do peito.
A vítima acabaria por morrer no dia seguinte, no hospital.

A mulher está acusada pelo Ministério Público (MP) de homicídio qualificado e de violência doméstica agravada. O MP considerou indiciado que a relação entre a arguida e o companheiro se mostrou sempre conturbada. Segundo a acusação, a culpa era da arguida, por ser possessiva, controladora, manipuladora e obcecada pela víti-ma. Na sequência da discussão, pelas 04.15 horas, como o companheiro fizesse tenções de abandonar a residência, não acedendo aos seus pedidos para que ficasse, a arguida, com uma faca que trouxera da cozinha, desferiu-lhe um golpe no pescoço, matando-o, refere a acusação.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.