Correio do Minho

Braga, terça-feira

Abel: "Um grande guerreiro tem de ter cicatrizes"
Biblioteca assombrada atrai cerca de meia centena de crianças

Abel: "Um grande guerreiro tem de ter cicatrizes"

Câmara de Vila Verde indignada com exclusão da Variante à EN 101

Desporto

2018-08-19 às 13h00

Joana Russo Belo

SC braga joga, hoje, nos Açores, frente ao Santa Clara, em jogo da 2.ª jornada da I Liga. Abel Ferreira acredita que eliminação da Liga Europa vai ditar uma equipa bracarense mais forte no campeonato.

É um lema de vida transposto para o futebol: “o que não nos mata torna-nos mais fortes”. Indubitavelmente, a eliminação da Liga Europa, aos pés dos ucranianos do FC Zorya, foi um dos temas da conferência de imprensa de Abel Ferreira - que servia para antevisão do jogo de hoje com o Santa Clara -, saída precoce que o técnico considera poder fortalecer a equipa para o campeonato nacional.

“Era um dos objectivos. O mais importante é percebermos que, quer nas nossas vidas, quer nas nossas profissões, tudo vem para nos ensinar. Sejam vitórias, derrotas, desilusões, grandes alegrias, temos de encarar como uma aprendizagem. Um grande guerreiro tem de ter cicatrizes, faz parte do nosso ADN...o que não nos mata torna-nos mais fortes”, começou por dizer o treinador, assumindo que se pode esperar um SC Braga mais forte no campeonato.
“Honestamente, acredito que sim. Vamos ter mais tempo para preparar os nossos jogos, mas preferia jogar de dois em dois dias. Vamos ter mais tempo para treinar, para entrar em todos os jogos com grande intensidade e foco, sempre com o mesmo objectivo: jogar para vencer e ser fiéis à nossa identidade”, frisou.

Abel lembrou que a equipa tem “três jogos oficiais, sete golos marcados e cinco sofridos”, dando conta de que já reflectiram e analisaram o que falhou na Liga Europa: “há aspectos defensivos que temos de melhorar, sobretudo, na prevenção da perda de bola, na comunicação e também melhorar a eficácia de passe”.

Quanto ao Santa Clara, o desejo do técnico “é manter a baliza a zero nos Açores”, frente a um adversário que será “um grande obstáculo”.

“É uma equipa muito bem orientada, tem um processo de jogo que valoriza o espectáculo, acredito que será um jogo muito interessante com duas equipas com identidades de jogo muito fortes. Temos de ser fiéis à nossa identidade e jogar bem, com intensidade, com intencionalidade, jogar para fazer golos e atentos aos contra-ataques do nosso adversário”, rematou.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.