Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Abel Ferreira: “Temos que ser equilibrados e focados no processo”
Projeto Interconcelhio de promoção do Envelhecimento Ativo promove exposição na Casa Museu Adelino Ângelo

Abel Ferreira: “Temos que ser equilibrados e focados no processo”

Aluna do IPVC, vencedora do Young Chef Awards 2018 leva feijão tarreste à Irlanda

Desporto

2018-08-31 às 06h00

Carlos Costinha Sousa

Abel Ferreira aponta à concentração e equilíbrio dos seus jogadores e do plantel para conquistar a vitória, hoje a partir das 19 horas, em casa do Desportivo de Chaves.

Um Sporting Clube de Braga que tem que estar focado, mentalizado, equilibrado e concentrado no processo de maneira a conseguir ultrapassar uma difícil equipa do Desportivo de Chaves. É desta forma que o treinador Abel Ferreira pretende que os seus Guerreiros do Minho se apresentem, hoje, em Chaves, no duelo que abre a quarta jornada da I Liga 2018/2019.
Na antevisão à partida, o treinador arsenalista começou por considerar que este Chaves treinado por Daniel Ramos é muito diferente do Marítimo, treinado pelo mesmo técnico, e que na época passada causou grandes dificuldades aos bracarenses, admitindo que está à espera de ter um novo e difícil obstáculo pela frente, mas que terá que ser ultrapassado.

“Considero que este Chaves é muito diferente do Marítimo do Daniel Ramos do ano passado. Acredito que é uma equipa mais audaz, que pratica bom futebol, com padrões defensivos muito bons, como já acontecia no Marítimo, mas também sempre a demonstrar vontade de assumir o desenrolar do jogo”, começou por referir Abel Ferreira, acrescentando que espera “um grande jogo”, mas lembrando que a sua equipa “sabe o que tem que fazer. Temos que ser muito equilibrados, focados no processo e temos que acreditar naquilo que trabalhamos e que fazemos nos treinos todos os dias. Mas certamente vai ser uma grande partida entre duas grandes equipas”.

Quanto à meta para este jogo, a vitória é o único resultado que interessa. Mas para isso, Abel sabe que o SC Braga vai ter que trabalhar muito. “Sei que vai ser um jogo complicado, mas também sei que o resultado depende das minhas tarefas e das dos jogadores. E só penso nisso.Temos que cumprir o plano e jogar para vencer”.
Frente ao Santa Clara foi a primeira vez na presente época que o SC Braga esteve em desvantagem, mas Abel gostou da resposta e lembrou que se fizeram “coisas muito positivas e com o ves outras que não fizemos tão bem. Por isso, temos de aprender com todos os momentos”.

“Jogadores são acções que podem dar dividendos”

Abel Ferreira afirmou, ontem, que espera uma I Liga mais equilibrada perante os resultados que estão a acontecer nas partidas já disputadas e, para além da antevisão do jogo com o Chaves, comentou ainda o mercado de transferências e as possibilidades de saídas que podem ainda vir a acontecer até ao final do dia de hoje. E o técnico encarou com naturalidade as eventuais saídas de Xadas e Trincão, considerando-os, num vocabulário bolsista, “boas acções” que dão “dividendos”.
O mercado de transferências termina hoje e, por isso mesmo e pelo facto de vários jogadores do SC Braga serem muito apetecíveis, Abel Ferreira abordou esse tema, considerando que as eventuais saídas de Xadas e Trincão, ambos internacionais pelas camadas jovens de Portugal, são normais, uma vez que “o mercado português é muito apetecível” e que, “lá fora, reconhecem competência” ao produto nacional.

“É como na bolsa, ter a oportunidade de comprar uma boa acção a baixo preço e com potencial de valorização, dar hoje 15 milhões de euros porque, se calhar, daqui a dois anos tenho de dar 30. Se eu estivesse em clubes de nomeada, e com outros recursos, iria à procura deste tipo de acções, com garantia e qualidade, que podem dar dividendos”, reconheceu o treinador dos Guerreiros do Minho.
Questionado ainda sobre uma eventual saída de Dyego Sousa, pretendido pelo Sporting, ou de Marafona, que se mostrou algo descontente por não estar a ter oportunidade de jogar, o técnico afirmou que neste momento, até ao final do jogo, o foco de todos os jogadores do plantel “é nas tarefas individuais e colectivas que temos que cumprir”, de maneira a que a luta pelos objectivos possa continuar. Quanto a Marafona, o técnico não se alongou muito, limitando-se apenas a dizer que “todos os jogadores do plantel estão a cumprir”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.