Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
A partir de 1 de Novembro há mais 11 ruas com estacionamento pago
Vitória ao cair do pano para o Burinhosa

A partir de 1 de Novembro há mais 11 ruas com estacionamento pago

Vila Verde distinguido com galardão eco escola

A partir de 1 de Novembro há mais 11 ruas com estacionamento pago

Braga

2019-09-17 às 06h00

Isabel Vilhena Isabel Vilhena

A partir de Novembro, há mais 11 ruas da cidade com estacionamento pago, o que representa mais 500 lugares com parquímetros. A proposta foi aprovada ontem reunião extraordinária do executivo municipal.

A partir do dia 1 de Novembro, há mais 11 ruas da cidade com estacionamento pago, o que representa mais 500 lugares com parquímetros.
A Câmara de Braga aprovou, ontem em reunião extraordinária do executivo municipal, a proposta das ruas que integram a ZEDL - Zona de Estacionamento de Duração Limitada, ou seja, artérias com estacionamento pago. Uma proposta que mereceu fortes críticas da oposição e que Ricardo Rio justificou com a mudança de circunstâncias decorrentes da dinâmica da cidade. Para Rio “a gestão do estacionamento à superfície é uma ferramenta fundamental para a política de mobilidade de uma cidade que se deve ajustar às circunstâncias concretas de cada momento”, argumentando que “aquilo que há cinco anos atrás eram condicionantes que não deveriam justificar um alargamento para outras ruas da cidade, hoje temos a percepção contrária que, por força da reivindicação de moradores, de comerciantes, das juntas de freguesia, da Associação Comercial de Braga e outras entidades que hoje defendem que essas ruas devem ser taxadas”.

O autarca prossegue com as explicações, afirmando que estas alterações não foram pensadas “numa óptica de obtenção de mais receita, mas, sobretudo, numa óptica de melhor promoção da mobilidade e da acessibilidade nessas mesmas zonas”, realçando que “foi essa a motivação para se fazer essa extensão de cerca de 500 lugares num total de 1900, face aos três mil que vigoraram durante o período de alargamento da concessão”.

Apesar das críticas, o PS votou a favor do alargamento “em consonância com o passado”, mas aponta o dedo a Ricardo Rio, lembrando que “é claramente o regresso ao passado. Em 2013 uma das grandes bandeiras eleitorais de Ricardo Rio tinha sido a reversão do alargamento que o PS tinha promovido e que nós vemos agora é que das 27 ruas que o PS tinha proposto na altura o alargamento, vemos agora reconsideradas 17 dessas ruas, ou seja 2/3 dessas ruas”, salientando que “isto é um reconhecimento de que o caminho certo era aquele que o PS tinha optado”, explicou o vereador Artur Feio.
Esta proposta teve o voto contra da CDU. O vereador Carlos Almeida recorda que “uma das primeiras medidas da maioria, em 2013, foi a revogação de uma deliberação ainda do PS que previa o alargamento a mais 27 ruas a cobrança do estacionamento à superfície. A verdade é que passados seis anos esta mesma maioria decide a inclusão de 17 dessa ruas novamente numa proposta para cobrança de estacionamento. Há uma mudança objectiva e sem explicação”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.