Braga: Polícias patrulham com bicicletas e ‘segways’

Braga

autor

José Paulo Silva

contactar num. de artigos 2231

A Polícia de Segurança Pública (PSP) vai criar circuitos de policiamento de proximidade na malha urbana da cidade com recurso a bicicletas e segways. O projecto, a implementar na Primavera ou início do Verão, foi revelado ontem, na visita que o presidente da Câmara Municipal de Braga efectuou ao comando distrital da PSP.
O ‘Projecto de Policiamento Velocipédico e Segway assenta em três circuitos. Um deles, assegura o policiamento com patrulhas velocipédicas num percurso entre as estações ferro- viária e rodoviária. Um segundo circuito, mais longo, cobrirá uma área que vai da Avenida Central ao campus de Gualtar da Universidade do Minho. Com uso de dois segway (veículo eléctricos auto-equilibrado) a ceder pela câmara de Braga, a PSP propôe-se patrulhar a zona pedonal do centro da cidade. Se este projecto de policiamento funcionar, o policiamento poderá ser alargado, numa segunda fase ao Parque da Ponte, Parque de lazer das Camélias e Monte Picoto, adiantou ontem o intendente Daniel Mendes, da PSP de Braga.

O comandante distrital da PSP, Gomes do Vale, precisou que depois de um período inicial, “haverá uma avaliação” para decidir ou não a expansão da área de policiamento que contará, para já, com quatro bicicletas. De acordo com os responsáveis da PSP, um policiamento deste tipo permite “mais proximidade e mais mobilidade”, contribuindo para “reduzir o sentimento de insegurança e diminuir a criminalidade”.
O policiamento velocipédico dará uma atenção especial à zona envolvente do pólo universitário de Gualtar, onde a PSP regista “alguma redução da criminalidade”. Só que, como salientou ontem o superintendente Gomes do Vale, “se os números nos dizem que houve redução da criminalidade, a percepção de segurança não os acompanha”.

O presidente da câmara de Braga, Ricardo Rio, apontou o acordo que a autarquia vai celebrar com a PSP para a cedência dos veículos segway como exemplo da “relação de grande colaboração” que quer aprofundar com a corporação policial. Partilha de recursos materiais- brevemente acordo de cedência das segways - levar a PSP para zonas que consideramos críticas.
O edil visitou as instalações do comando e das esquadras da PSP, confirmando que os polícias não dispõem das condições mais adequadas ao exercício das suas funções.
A necessidade de novas instalações para a PSP é reconhecida há vários anos, tendo o presidente da câmara assegurado a criação, em Braga, de um verdadeiro ‘’Campus de Segurança’ que venha, não só, a acolher novas instalações para a PSP, mas que agregue outras forças de segurança pública e serviços do Estado e da autarquia.
Ricardo Rio adiantou a existência de “um compromisso efectivo por parte do Ministério da Administração Interna de dotar a PSP, ainda no presente mandato do Governo, de instalações próprias, com outras condições, funcionalidades e conforto para os agentes, e outra acessibilidade para os cidadãos”.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia