Exercício físico regular é o melhor remédio para prevenir a diabetes

Braga

autor

Isabel Vilhena

contactar num. de artigos 1292

Entre dez a doze portugueses morrem a cada dia, em média, por diabetes, uma doença que afecta mais de um milhão de pessoas em Portugal, segundo um relatório nacional.
O documento da Direcção-geral da Saúde (DGS), divulgado ontem, no dia em que se assinalou o Dia Mundial da Diabetes, mostra que a mortalidade causada por esta doença tem vindo, ainda assim, a diminuir e que 2015 foi o ano que registou a taxa de mortalidade padronizada mais baixa, com 19,4 mortos por 100 mil habitantes.

O Hospital de Braga assinalou este dia com um programa de sensibilização sobre os factores de risco e sinais de alerta da diabetes.
Olinda Marques, directora do serviço de Endocrinologia do Hospital de Braga, afirma que a prática do exercício físico é o melhor remédio para prevenir a diabetes. “A nossa população é hoje muito sedentária e começamos a ter alguns hábitos de alimentação saudável, mas o exercício é um ponto muito esque- cido e é o que permite uma manutenção a longo prazo”, afirmou Olinda Marques, acrescentando que “alimentação é muito importante, mas não dá tantos benefícios como o exercício feito de uma forma regular”.

O excesso de peso/obesidade historial de diabetes na família, pressão arterial elevada e diabetes gestacional prévia são outros factores de risco apontados pela médica.

Para Olinda Marques “prevenir é o melhor remédio, embora, no caso da diabetes tipo I, não há medidas que possam ser tomadas no sentido de prevenir o seu aparecimento uma vez que se trata de uma doença auto-imune. A diabetes tipo II é diferente, pois na maior parte dos casos está associada a hábitos de vida pouco saudáveis. Assim, é importante que se procure seguir um plano nutricional mais equilibrado e fazer exercício frequentemente”.

No caso da diabetes gestacional que, segundo a responsável pelo serviço de Endocrinologia, teve um aumento significativo nos últimos dez anos. “Na realidade, os critérios são cada vez mais apertados porque se verifica que isso é um primeiro sinal que a mulher no futuro poderá ter diabetes. O excesso de peso das grávidas é o principal factor de risco evitável, advertiu, adiantando ainda que “as crianças nascidas de uma mãe com diabetes, se não for cuidado durante a gravidez, tem uma tendência a nascer com peso elevado, o que aumenta o risco de desenvolver obesidade ou diabetes no futuro”.

Morrem por ano por diabetes entre 2 200 a 2 500 mulheres e cerca de 1 600 a 1 900 homens, o que significa mais de 4% das mortes das mulheres e de 3% nos homens.
A doença afecta mais de 13% da população portuguesa e estima-se que 44% das pessoas com diabetes esteja por diagnosticar.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia