Montalegre: Central Solar Fotovoltaica instalada na Barragem dos Pisões

Nacional

autor

Redacção

contactar num. de artigos 33969

A primeira Central Solar Fotovoltaica Flutuante da Europa foi instalada para o aproveitamento hidroelétrico da albufeira do Alto Rabagão, no concelho de Montalegre. “É um projecto arrojado, inovador e prestigiante para a EDP mas também para o Município de Montalegre. Faz com que possamos contribuir para que o nosso governo consiga cumprir os acórdãos de Paris e as metas de defesa e preservação do planeta”, congratulou-se o presidente da Câmara Municipal de Montalegre, Orlando Alves, durante a cerimónia de inauguração, que contou também com a presença do secretário de Estado do Ambiente.

Trata-se de um projecto pioneiro que está em fase de testes e onde a empresa investiu 450 mil euros. São 840 painéis solares flutuantes numa espécie de jangada, com uma produção anual estimada de 300 MWh, o equivalente ao consumo de 100 famílias.

“Felicito a empresa que escolheu Montalegre para investimentos pioneiros. Lembro que a EDP tem, cada vez mais, a obrigação de contribuir para a sustentabilidade do território”, desafiou ainda o autarca de Monta- legre. A Central Solar Fotovoltaica Flutuante do Alto Rabagão arrancou em Novembro de 2016 e, até ao final de Junho, ultrapassou as metas de produção em 6 por cento, ainda que este sucesso possa ser até certo ponto ser explicado por um “ano atípico”, muito sol, vento e pouca chuva. A avaliação da viabilidade técnica e comercial será feita ao fim do primeiro do ano de produção desta unidade.

A solução poderá, posteriormente, ser usada noutras barragens exploradas pela EDP em Portugal e há a possibilidade de o projecto ser levado para o Brasil onde a eléctrica tem centrais hídricas. Para o secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, este “é um projecto muito importante para o ambiente”. E o governante explicou: “está, desde logo, alinhado com as nossas preocupações com as energias renováveis. Do ponto de vista da economia, é bom que seja uma empresa portuguesa a desenvolvê-lo. Espero que seja um exemplo replicado por outras entidades públicas”.

Carlos Martins destacou ainda a circunstância de haver naquele local muita energia eólica hídrica, colocando o Município de Montalegre “numa situação muito particular”. E o secretário de Estado espera que “seja motivo para a fixação de empresas consumidoras de electricidade. Seria uma oportunidade de atractividade e uma solução para o despovoamento, promovendo a coesão territorial”.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia