Bebé de 18 meses encontrado bem ao fim de 15 horas desaparecido

Casos do Dia

autor

Teresa M. Costa

contactar num. de artigos 2449

Um pouco sujo e com ar assustado, mas aparentemente bem de saúde. Foi assim que foi encontrado por uma vizinha o menino de 18 meses que foi dado como desaparecido ao início da noite de terça-feira, em Serzedelo, concelho da Póvoa de Lanhoso.

Eram muitos os meios no terreno, entre bombeiros, GNR e Polícia Judiciária, mas acabou por ser encontrado por uma vizinha que teria gado a pastar num campo agrícola, a cerca de um quilómetro da casa da família de onde a criança - Iuri - desapareceu pelas 20 horas de terça-feira.

A mulher entregou a criança a militares da GNR que estavam no terreno e foi logo observada por uma equipa dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso que lhe prestaram a primeira assistência.

O terreno onde o bebé foi encontrado está dentro do perímetro que fora definido para as buscas, tendo em conta a capacidade de locomoção da criança, e já tinha sido batido pelas equipas que participaram nas diligências.
O próprio coordenador do Departamento de Investigação Criminal de Braga da Polícia Judiciária (PJ), Gil Carvalho, em declarações aos jornalistas, afirmou que tinha estado a 200 metros do local onde a mulher diz ter encontrado a criança.
Desde o momento em que foi dado o alerta - pelas 21.58 horas - estiveram no terreno meios dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, de diferentes valências da GNR do Comando Territorial (CTER) de Braga, reforçadas por dois binómios de busca e salvamento do CTER do Porto, e da PJ.
A PJ assumiu, desde a primeira hora, a investigação criminal e ouviu, durante a madrugada, várias pessoas, incluindo o pai, a mãe e as duas irmãs da criança - de 3 a 7 anos - e outras pessoas que se relacionam com a família.

De acordo com a versão da família, no momento do desaparecimento, Iuri estaria com as irmãs no exterior da casa da família, sita na Rua de S. Sebastião, quando o perderam de vista, num momento de distracção, mas o alerta só foi dado cerca de duas depois.
Dado o alerta, foram mobilizados vários meios para o terreno e as buscas nunca pararam, embora condicionadas pela falta de visibilidade durante a noite.

Fonte da GNR garantiu ao ‘Correio do Minho’ que vários locais foram alvo de busca, alguns mais de uma vez, incluindo o terreno onde a criança viria a ser encontrada.

Admitindo que 'todos os cenários estiveram em cima da mesa' durante as 15 horas em que a criança esteve desaparecida, o coordenador da PJ de Braga reconheceu ser 'possível' que a criança se tenha ausentado sozinha. 'Vimos o local onde ela esteve ontem com a mãe e disseram-nos que andavam muito bem e até corria' afirmou Gil Carvalho, apontando que 'uma criança criada numa aldeia tem um desenvolvimento motor diferente de uma criança que é criada na cidade'.

Iuri foi encaminhado para o Hospital de Braga para ser examinado o seu estado de saúde.
O Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Braga já determinou a intervenção por parte das entidades competentes, revelou o coordenador da PJ, cabendo ao Tribunal de Menores definir o destino das três crianças.

O presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, também se deslocou ao local onde decorriam as buscas e referiu que a família está referenciada pela Segurança Social e pelo Serviço de Acção Social do município.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia