Viana do Castelo: Câmara Municipal reabilita Cruzeiro de Santa Marta

Alto Minho

autor

Redacção

contactar num. de artigos 33997

A Câmara Municipal de Viana do Castelo está a reabilitar o Cruzeiro de Santa Marta de Portuzelo, no âmbito do Programa “Valorizar o Património”, lançado para recuperar edifícios e monumentos que apresentam algumas condições de risco ou desadequadas, designadamente risco de colapso físico, acesso e circuito condicionados, obras de arte em avançado estado de deterioração, ausência de conteúdos e sinalética.

O Cruzeiro de Santa Marta, que está a ser sujeito a conservação a cargo de uma empresa especializada, do século XVIII, todo em granito e enquadrado na arquitetura religiosa barroca, de grande riqueza decorativa, inclui-se nos cruzeiros de tradição do norte do país e das encruzilhadas ou caminhos. Classificado como Monumento Nacional, está a ser submetido a intervenção especializada, sendo que integra um conjunto oito edifícios (Igreja de S. Domingos, Capela de Nossa Senhora da Agonia, Capela de Santa Catarina, Capela das Malheiras, Igreja de S. Pedro de Serreleis, Igreja de S. Tiago de Castelo de Neiva, Cruzeiro de Santa Marta de Portuzelo e Cruzeiro de Nosso Senhor da Saúde em Vila de Punhe), onde as necessidades estão avaliadas em cerca de 300 mil euros.

O programa abrangente de valorização de Património construído tem por objetivo qualificar espaços de valor arquitetónico, histórico e artístico relevante para o território; dinamizar o potencial cultural destes espaços enquanto locais privilegiados de fruição cultural; e promover e valorizar os espaços referidos enquanto locais de visitação e atratividade turística. Os diferentes apoios, protocolados com as diferentes instituições, tem ainda previstas ações de fruição cultural de carácter diverso (concertos, visitas guiadas), de modo a abranger diferentes públicos.

Este programa tem em conta que o Património Cultural de um território constitui a mais importante marca identitária do mesmo e que a conservação, recuperação, valorização ou divulgação deste torna-se um imperativo e também um dever para com os vindouros na transmissão de uma herança verdadeiramente fundacional, para além de desempenhar um papel fundamental no desenvolvimento policêntrico dos territórios e na coesão territorial.

De lembrar que o Património Cultural Religioso e Monástico assume particular relevância no concelho pela antiguidade, pela excecionalidade da arquitetura e da arte integrada, pelo testemunho de outras épocas e de outras mentalidades e porque se configuram como locais de enorme potencial para o conhecimento da ciência e da cultura.

*** Nota da C.M. de Viana do Castelo ***

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia