Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Os remédios “naturais”

O mito do roubo de trabalho

Voz à Saúde

2017-01-03 às 06h00

Gilberto Santos

A utilização do termo remédios “naturais” refere-se à utilização de substâncias presentes na natureza, sejam elas à base de ervas, componentes animais, minerais ou vegetais, e utilizados para a prevenção, tratamento ou cura de doenças.
Existem correntes que inserem as metodologias e terapias sem medicação física, como a meditação, acupuntura e terapias manuais, entre outras, nos remédios “naturais”.

Do ponto de vista histórico, antes da ciência médica praticada nos nossos dias, os remédios “naturais” visavam garantir, dentro das suas limitações, a qualidade da saúde das populações, quer debelando as enfermidades de que as pessoas padeciam, quer suprimindo os sinais/sintomas dessas mesmas enfermidades. Estes remédios eram muitas vezes à base de infusões/chás ou xaropes de ervas/plantas medicinais.

Importa ressalvar, do ponto de vista quantitativo e qualitativo, que muitas destas infusões/chás ou xaropes à base de ervas/ plantas, possuem inúmeros compostos, nem todos ainda identificados à luz da ciência atual, com variações nas suas concentrações (resultantes de diferentes locais de produção /armazenamento e ano de produção), podendo levar ao aparecimento de efeitos secundários indesejáveis e muitas vezes inesperados.

Tentando limitar estes efeitos inesperados, que podem apresentar com grande variabilidade, a medicina atual tenta selecionar o/os compostos presentes em remédios “naturais”, purificando-os e quantificando a sua administração, sob diferentes formas farmacêuticas (como comprimidos, xaropes, supositórios e pomadas, entre outros), garantindo uma maior segurança e eficácia, aquando da sua administração.

Mas se é verdade que alguns remédios “naturais” devem ser utilizados de forma criteriosa, dada a possível existência de efeitos indesejáveis graves, muitos deles têm uma base científica sólida, como a acupunctura, termalismo ou as terapias manuais, entre outros, evidenciando-se como terapêuticas eficazes no tratamento de diversas doenças.

Nos dias de hoje a utilização de remédios “naturais” encontra-se em expansão, existindo uma maior abertura de mentalidades à prática de alguns tratamentos, facilitada pela troca de informação através da Internet, sendo que muitos são utilizados em complementaridade com a ciência médica atual.

Se privilegia este tipo de remédios “naturais”, ou os utiliza em complementaridade com a medicina tradicional, lembre-se que o sucesso da sua utilização para a prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças, tanto do foro físico como mental, está na forma criteriosa como os utiliza e nos profissionais em que os recomendam.
Por isso em caso de dúvida ou pretender mais esclarecimentos, procure o seu Médico de Família. Cuide de si, cuide da sua saúde.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz à Saúde

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.