Correio do Minho

Braga, quarta-feira

O que é o Síndrome do Túnel do Carpo?

Da falta que as tentações nos fazem

Voz à Saúde

2016-06-28 às 06h00

Bruno Melo

Esta patologia é provocada pela compressão do nervo mediano que, juntamente com nove tendões responsáveis pelos movimentos dos dedos, passa por um canal na face anterior do punho, chamado Túnel do Carpo.

Esta compressão é originada pelo edema (inchaço) da bainha que reveste os tendões (provocado por movimentos repetitivos), pela acumulação de líquido sinovial, por luxações e fraturas ósseas e durante a gravidez (geralmente desaparecendo após o parto). Algumas doenças estão associadas a esta patologia, como o hipotiroidismo, diabetes mellitus, artrite reumatóide e insuficiência renal.
O doente, geralmente, apresenta dor, parestesias (formigueiros, adormecimento) no antebraço, mão e dedos e perda da função motora (fraqueza nas mãos), que pode levar a sentir dificuldade em abotoar uma camisa e em pegar objetos. Estes sintomas são piores durante o período matinal e noturno, podendo inclusive acordar o doente. Sendo também mais graves após utilização mais intensa das mãos durante o dia.

O diagnóstico do Síndrome do Túnel do Carpo geralmente é clínico, sendo realizado pela colheita de uma história clínica detalhada, incluindo o tipo de atividade que realiza com as mãos, história de traumatismo anterior e sintomas prévios. Os meios complementares de diagnóstico que podem ser utilizados são a eletromiografia, efetuada para confirmar o diagnóstico desta patologia e excluir qualquer compressão do nervo mediano a outro nível que não o punho, como o antebraço, ombro ou coluna cervical. De forma a excluir outras patologias, citadas anteriormente, pode ser pedido uma radiografia da mão, assim como análises sanguíneas.

O tratamento desta síndrome pode dividir-se em conservador e cirúrgico. No tratamento conservador inclui-se a mudança das atividades realizadas com as mãos de forma a reduzir o uso repetitivo desta, o uso de uma tala durante a noite para diminuir as queixas que impedem o sono e o uso de medicamentos anti-inflamatórios e corticosteroides. O tratamento cirúrgico é realizado quando os sintomas são muito intensos ou não melhoram com o tratamento conservador.
Em caso de dúvidas aconselhe-se com o seu médico. Cuide de Si! Cuide da sua saúde!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.