Correio do Minho

Braga,

“Doutor, o jato está fraco!”

Amigos não são amiguinhos

Voz à Saúde

2016-02-16 às 06h00

Joana Barbosa

A hipertrofia benigna da próstata (HBP) é o tumor benigno mais comum nos homens, cuja incidência aumenta com a idade. As causas exatas desta patologia não são totalmente conhecidas. Esta doença caracteriza-se por um aumento do volume da próstata, que vai diminuir o calibre da uretra (local por onde sai a urina), podendo interferir com o esvaziamento da bexiga. A prevalência é de cerca de 55% em homens entre 51-60 anos e de aproximadamente 90% em homens com 80 anos.

Os homens com HBP, podem apresentar queixas de obstrução ou irritação urinária. A obstrução urinária traduz-se em dificuldade em iniciar a micção, diminuição da força do jato de urina, micções com pausas de segundos, sensação de esvaziamento incompleto da bexiga e gotejamento pós-miccional. Os sintomas de irritação urinária, caracterizam-se por imperiosidade para urinar, aumento da frequência e noctúria (necessidade de urinar durante a noite).

Como noutras situações clínicas, o diagnóstico de HBP, é feito através dos sintomas do doente e do exame objetivo, posteriormente confirmados pelos exames complementares de diagnósticos adequados a cada situação clínica. Atualmente, ainda que seja um tumor de características benignas, tem grande impacto na qualidade de vida dos doentes, pelo que se colocam à disposição vários tipos de terapêuticas.

Os doentes com pouca sintomatologia, deverão adotar medidas higieno-dietéticas, como diminuição da ingestão de líquidos após hora do lanche. Sabe-se também, que os vegetais têm um papel protetor e algumas alterações corporais relacionadas com a obesidade facilitam o desenvolvimento de HBP.

Em doentes, mais sintomáticos, temos ao dispor terapêuticas farmacológicas, e em casos mais graves intervenções cirúrgicas. Se não tratada ou mesmo em tratamento com medicamentos, ocorre geralmente um agravamento progressivo do quadro com a idade. Ainda que a HBP seja uma doença benigna, pode em alguns casos provocar consequências muito graves, como insuficiência renal ou infeções graves.

Se apresenta algum destes sintomas, deverá consultar o seu médico de família, de modo a esclarecer quaisquer dúvidas e estabelecer a terapêutica mais adequada para Si. Cuide de Si, cuide da sua saúde!

Deixa o teu comentário

Últimas Voz à Saúde

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.