Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +

Dormir bem e envelhecer melhor

Eu, Fausto.

Dormir bem e envelhecer melhor

Voz à Saúde

2019-03-19 às 06h00

Ana Catarina Guimarães Ana Catarina Guimarães

No passado dia 15 de Março, celebrou-se o Dia Mundial do Sono com o lema “Dormir bem e envelhecer melhor” da Associação Portuguesa do Sono.
O sono é um processo biológico que faz parte das necessidades básicas e a sua qualidade é um dos pilares fundamentais da saúde.
Durante o sono, o nosso organismo realiza funções cruciais para a manutenção de um bom estado de saúde, como a consolidação da memória e aprendizagem, o fortalecimento do sistema imunológico, assim como, o repouso físico.
O número ideal de horas de sono depende de cada indivíduo e tende a diminuir com a idade, no entanto recomendam-se 7 a 8h de sono.
Segundo um estudo da Sociedade Portuguesa de Pneumologia 46% dos portugueses com 25 anos ou mais, dormem menos de seis horas por dia, 21% dizem que demoram mais de 30 min a adormecer e 32% consideram ter um mau sono.
A má higiene do sono tem consequências a curto e a longo prazo. Os distúrbios do sono provocam vários sintomas como: cansaço, sonolência diurna excessiva, irritabilidade e alterações do humor, dificuldade de concentração e memória, entre outros.
A longo prazo a privação de sono está também associada a várias doenças como a obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e cancro.
Uma higiene adequada do sono pode ser obtida com a adoção de pequenas atitudes como:
• Evitar tomar café, ingerir bebidas alcoólicas ou fumar quatro a seis horas antes de dormir;
• Dormir com as luzes do quarto apagadas e num ambiente silencioso;
• Manter uma temperatura do quarto adequada;
• Antes de dormir não ver televisão ou utilizar dispositivos eletrónicos;
• Evitar a prática de exercício físico no final do dia (pelo menos três horas antes de dormir);
• Adotar horários regulares de sono, tanto ao deitar como ao acordar, inclusive durante o fim de semana;
• Evitar refeições pesadas ou picantes ao jantar;
• Optar por um colchão e almofada confortáveis.
No entanto, se apesar de já instituídas estas medidas de higiene do sono mantiver um distúrbio do mesmo, com o aparecimento dos sintomas acima descritos, deve procurar o seu Médico de Família. Lembre-se, cuide de Si! Cuide da Sua saúde!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.