Correio do Minho

Braga, terça-feira

Criatividade e sustentabilidade de mãos dadas na escola

O seu a seu dono!

Voz às Escolas

2018-10-08 às 06h00

Maria da Graça Moura

O acesso à escola foi, inquestionavelmente, a grande conquista do sistema educativo português. Porém, esta escola de todos tem passado por dificuldades em servir todos, pois a multiplicidade de alunos exige o reconhecimento de que a diversidade é incompatível com uma uniformização curricular. Consciente desta exigência, o Agrupamento de Escolas André Soares (AEAS) aderiu ao Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular como sendo uma oportunidade de reforçar a sua constante preocupação de ser um Agrupamento de todos e que procura servir todos os seus alunos. Dos vários caminhos possíveis, o AEAS assumiu promover uma flexibilidade curricular que visasse o sucesso de todos os alunos. Assim, partindo das fragilidades e das potencialidades de cada grupo, os conselhos de turma foram desafiados a adequar o currículo às necessidades particulares dos alunos para lhes possibilitarem a aquisição das aprendizagens essenciais e, consequentemente, contribuir para a construção de um perfil de alunos adequado às exigências da sociedade do século XXI.

Crê-se que o AEAS tem, de um modo mais claro, a consciência de que hoje lhe é exigida a construção de currículos que se ajustem às exigências de uma contemporaneidade em permanente transformação e, por isso, a sua ação pedagógica está a caminhar no sentido de não se limitar apenas à transmissão de um leque alargado de conhecimento aos seus alunos, mas de os capacitar para selecionar, processar e comunicar o conhecimento, ou seja, o de fomentar o aprender a aprender.
Na sequência deste querer, foi criado o Programa Retenção Zero (PRO), potenciando mudanças em contexto escolar na otimização de práticas educativas, criando oportunidades para todos os alunos, incluindo, promovendo a vontade de aprender!

A par das atividades curriculares em grupo turma, os alunos que integram este programa, enriquecerão os seus conteúdos frequentando Contextos de Aprendizagem Diversificados (CAD), onde desenvolverão tarefas que lhes permitirão reforçar/adquirir as aprendizagens essenciais em contextos diversos.
A primeira iniciativa, no âmbito desta missão do agrupamento, conta com a participação do artista plástico Ricardo de Campos, que promoverá a criação de obra(s) de arte juntamente com um grupo de alunos do oitavo ano da Escola André Soares, no âmbito do Simpósio Arte & Sustentabilidade. A iniciativa, arrancou no dia um de outubro, tendo os alunos envolvidos trazido peças de vestuário fora de uso, a partir das quais produzirão uma obra tridimensional, que será posteriormente exposta na escola. Esta experiência constitui um incentivo à criatividade dos jovens, dando-lhes ainda a oportunidade de deixar na (sua) escola a marca do seu crescer neste percurso, além de apelar para a consciência ambiental.

O Simpósio Arte&Sustentabilidade é promovido pela Zet Gallery em parceria com o IB--S (Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade da Universidade do Minho) e, mais concretamente, com o projeto Fibrenamics Green e partiu do desafio lançado a artistas para desenvolverem objetos a partir de materiais provenientes do desperdício.
Numa sociedade amplamente marcada pelo consumismo, é papel crucial da escola fomentar junto dos mais novos o conceito de reaproveitamento do «lixo», mostrando que é possível criar obras de arte a partir de objetos do quotidiano.
E assim se faz diferente em cada dia! Para melhor servir a escola pública!

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Escolas

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.