Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Como controlar a minha Ansiedade?

O mito do roubo de trabalho

Voz à Saúde

2016-06-07 às 06h00

Joana Afonso

A Ansiedade é uma reação normal, natural e útil do ser humano na sua vida social. Pode ser observada como uma resposta adaptativa, na medida em que permite aumentar o estado de alerta do indivíduo tornando-o mais ativo e saudavelmente competitivo. No entanto, quando em excesso e de carácter sistemático a ansiedade surge como um processo patológico, uma doença que altera a qualidade de vida e interfere no dia-a-dia.

Estima-se que, em Portugal, cerca de 16,5% da população sofra de patologias do espetro da ansiedade, números que nos destacam da restante Europa na medida em que países como a Alemanha ou Espanha apresentam uma prevalência de apenas 6,2% e 5,9% res-petivamente.
Não há uma causa específica para o aparecimento das perturbações de ansiedade e as preocupações podem prender-se com questões familiares, amorosas, de trabalho, saúde ou qualquer outra temática. Interferem na rotina de cada um, levando a pessoa a sentir-se insegura e com uma preocupação excessiva, apesar de não perder a sensação de prazer e realização quando ultrapassado o seu estado ansioso.

Há também a ansiedade que se manifesta em resposta a um estímulo específico, tratando-se de uma Fobia, por exemplo, o medo de estar rodeado por muita gente, o medo de aranhas, medo de andar de avião… Existe ainda outra situação clínica, que pode estar associada, o Pânico que pode até levar a uma sensação de morte iminente obrigando a recorrer ao serviço de urgência.
Podem manifestar-se de várias formas incluindo fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração, dificuldade em adormecer, oscilações de peso ou até mesmo aumento da tensão muscular, cefaleias, taquicardia, palpitações, náuseas, vómitos ou diarreia.

Há condições não psiquiátricas que podem manifestar-se de uma forma semelhante, entre outras, incluem-se patologias da tiroide, doenças cardíacas ou apenas baixos níveis de açúcar no sangue. Há fatores que podem relacionar-se a um maior risco para desenvolver uma destas perturbações como sexo feminino, idade jovem, consumo de álcool, tabaco ou café.

Como agir face a uma perturbação de ansiedade?
Devemos ter em conta que há formas de tratamento desta condição, assim, saiba que deverá consultar o seu Médico de Família de forma a que ele o possa ajudar diretamente ou até mesmo encaminhar para outros profissionais de saúde, caso haja necessidade. Atualmente, apenas 20% da população com ansiedade procura o seu Médico.

O tratamento poderá passar pelo recurso a medicamentos (ansiolíticos, antidepressivos) e/ou psicoterapia que é muito eficaz neste tipo de doenças, sempre de uma forma acompanhada. De igual forma, é importante a aprendizagem de medidas de controlo mais gerais como a prática de exercício físico, técnicas de relaxamento, controlo da respiração (inspirar calmamente pelo nariz com a boca fechada, expandindo o abdómen e expirando lentamente deixando o ar sair pela boca) e moderação do consumo de álcool, tabaco e café.

Com ajuda é possível limitar as suas preocupações e reconquistar a qualidade de vida.
Lembre-se, cuide de Si! Cuide da Sua saúde!

Deixa o teu comentário

Últimas Voz à Saúde

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.