Correio do Minho

Braga, sábado

Artes Plásticas e Tecnologias Artísticas

Investir em obrigações: o que devo saber?

Ensino

2016-06-01 às 06h00

Francisco Trabulo

A Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior foi determinante para a construção de uma situação única para o norte do país, sobretudo para a grande região do Minho e Alto-Minho. Foi aprovado em abril último o primeiro curso superior (Licenciatura no regime de Bolonha) na área do conhecimento das Belas Artes: “Artes Plásticas e Tecnologias Artística” para toda esta região.

A instituição que propõe este novo curso superior de natureza artística e tecnológica é a Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (ESE- IPVC). Curso este, proposto e coordenado por uma equipa de docentes especialistas na área - artistas com reconhecido mérito na prática artística e no meio académico. Na sua construção, esta equipa fez-se acompanhar por todo um conjunto de especialistas do IPVC nas respetivas áreas do saber presentes neste curso, elevando-se e articulando-se o rigor científico, pedagógico, técnico e tecnológico.

Não apenas Viana do Castelo, mas toda esta grande região vê deste modo finalmente chegar o ensino público na área das Belas Artes. O IPVC garante o compromisso de um corpo docente de altíssima competência em Artes Plásticas e Tecnologias Artísticas e todas as condições logísticas próprias à boa prossecução do mesmo. É efetivamente um momento único de oportunidades para o enriquecimento artístico, técnico e tecnológico, científico e pedagógico para esta região. Assim como, para a dinamização e expansão da oferta formativa desta instituição de ensino superior pública.

Ao analisarmos o plano de estudos percebemos a transversalidade desta formação, com presença central do “Atelier de Artes Plásticas” com Pintura e Escultura, ou do “Laboratório de Tecnologias Artísticas”. A formação atribui um grande relevo ao “Desenho” que se desdobra até à “Ilustração”, estendendo-se o plano de estudos desde as Tecnologias mais tradicionais, como a “Gravura”, “Serigrafia”, “Metais, Plásticos e Madeiras”, até às Novas Tecnologias (Multimédia) como são exemplo, “Cine-vídeo”, “Meios digitais”, “Fotografia”, “Arte e comunicação digital” ou “Animação”.

Mas há mais, os estudantes podem frequentar ainda optativas como “Arte Intermédia, Som e Instalação”, “Teoria e Prática da Performance” entre outras de carácter mais tradicional ou contemporâneo, a par de uma relação articulada com unidades teóricas fundamentais. Compreende-se assim que os estudantes (e as famílias) da região do Minho e Alto-Minho têm agora ao seu dispor um curso de formação artística com grande capacidade e dinâmica no ensino superior público. A ideia de que os estudantes terão - se o entenderem - ferramentas capazes de aplicabilidade no mundo real, a par da via autoral na designada “arte contemporânea” evidencia-se como uma mais-valia deste novo ciclo de estudos e uma aposta do IPVC.

O plano de estudos pode ser consultado em detalhe, entre outras informações pertinentes no portal da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo ( www.ese.ipvc.pt ou em www.ipvc.pt).

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.