As crianças a Ler+ em família em tempo de férias de verão

Voz às Bibliotecas

autor

Aida Alves

contactarnum. de artigos 21

É sabido que as crianças desenvolvem as suas competências de leitura e obtêm melhores resultados durante o seu percurso escolar quando contactam com livros diariamente. Quanto mais cedo as figuras do livro e da leitura entrarem na vida de uma criança, tanto melhor será o desenvolvimento cognitivo e social que esta desenvolverá.
Nestas férias, aproveite e planeie e faça atividades com os seus filhos tendo como ponto de partida os livros que pode adquirir no comércio, pedir emprestados a alguém ou requisitar numa biblioteca pública.

A leitura começa com o desenvolvimento de competências de apreensão sensorial, onde a visão, o tacto, a audição, os cheiros, as interações lúdicas com os objetos devem ser exploradas pelos educadores. Os sons, as cores e a identificação dos objetos que nos rodeiam são rapidamente apreendidos pelas crianças.

Na verdade, as crianças não começam a aprender a ler apenas quando vão para a escola. A competência da leitura desenvolve-se desde o primeiro ano de vida, e deve entrar na vida quotidiana no seio da família. O livro primeiro representa um objecto, muitas vezes ainda sem palavra impressa, mas com cores, texturas e sons que encantam os mais pequenos. De qualquer forma, mesmo sem palavra impressa, é um livro e representa o primeiro contacto da criança com este objecto.

Recomendamos que não tenha pressa, pois não há exigências. Veja o momento da leitura e da interação com o livro como uma parte lúdica do seu dia.
Toda a família desempenha um papel importante se promover momentos de leitura partilhada, de preferência em voz alta, tornando os momentos mais animados e criativos. Na leitura em voz alta, podemos ser muito criativos. A forma como lemos com e para as crianças, explorando o texto ou as ilustrações, os sons as cores, encarnando um personagem, um animal, uma princesa, ou um herói, dramatizando ou improvisando um jogo de imitações ou troca de papéis podem tornar estes momentos muitos intensos e agradáveis. Muito se pode ler só, por exemplo, através das ilustrações, nomeadamente aquelas que são imediatas à compreensão, explorando os sentidos mais directos.

O Plano Nacional de Leitura que agora se renova por mais dez anos, até 2027, irá com certeza contribuir para reforçar estratégias de promoção da leitura e de sinergias na articulação de todo o potencial dos vários parceiros institucionais envolvidos e comprometidos com a comunidade (escolas, bibliotecas, universidades, e, sobretudo, ministérios).
Convidamos os leitores, pais e educadores a implementar uma rotina do dia com os seus filhos menores, seguindo os passos enunciados no documento disponível em: http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/arquivo/escolas/uploads/projectos/livrodeleituras(1).pdf

Resumidamente, estes passos podem enunciar-se da seguinte forma:
Escolha um momento em que nem você nem a criança estejam a ver televisão ou a disfrutar de outra actividade distrativa. Pergunte à criança se quer que lhe leia uma história. Se ela não quiser, não force. Procure interessá-la noutra altura.
Deixe a criança escolher o livro. Há sempre um livro que a pode interessar porque, felizmente, a oferta de obras para crianças é rica e variada. Se achar o livro que a criança escolheu muito grande ou com pouco interesse, proponha-lhe outros até sentir que a sua proposta lhe agrada.
Procure um sítio que seja confortável para os dois, de preferência sossegado, para evitar que se distraia com interrupções. Sentem-se juntos, para que a criança possa observar as imagens e ver as palavras que for lendo.

Vá apontando o que está a ler, para que a criança se aperceba do movimento da leitura. Leia com expressão, pronunciando claramente as palavras e fazendo pausas. Incentive-a a ler palavras ou frases que já conheça. Durante a leitura, converse sobre o que leu e explique alguma palavra ou situação que ela não perceba. Pergunte o que acha que vai acontecer a seguir. Se o livro for grande, leia-o em partes.

Quando acabar a leitura, converse sobre a história, sobre as personagens de que mais gostou, sobre o que achou mais interessante. Prolongue o momento de leitura.
Esteja atento aos sinais de cansaço. Interrompa a leitura se a criança mostrar desinteresse. Se a criança pedir, continue a contar histórias. Mas não force.

As férias em família podem passar-se em diversos ambientes e contextos, desde parques de diversão, passeios ao ar livre, idas à praia ou à piscina, procurando a diversão, o descanso e combatendo o aborrecimento. Pode ver-se um filme em conjunto, e falar sobre ele. Mas pode também equacionar se uma ida à biblioteca para escolherem “aquele livro” que lhes parecer mais atrativo possível. E sim, deixe o seu filho escolher. Ler mais e em família é o lema a seguir. Comprometa-se com este principio.

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Voz às Bibliotecas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia