Correio do Minho

Braga, sábado

A Tomada de Madrid

Falar bem, Escrever melhor

Literatura

18 Janeiro 2016

É Francisco de Brites, oficial português, quem nos relata esses dias feitos de golpes de espada, pólvora e morte. Mas antes de entrar em Madrid com um exército de vinte mil homens, Francisco ocupara Salamanca. E foi nessa cidade que o militar - que sofreu várias mutilações nos campos de batalha - entregou a parte mais importante de si: o seu coração. Ficou com uma morena de olhos verdes que o seduziu de uma janela.

Uma vitória improvável em batalha, um amor impossível no coração, cicatrizes em de um veterano português, este é o relato apaixonante de um período fundamental da História de Portugal que ficou soterrado nasmemórias curtas das nossas gentes.
 

O autor:
Mário Silva Carvalho, 1948 (Pampilhosa - Mealhada). Licenciado em História pela Universidade de Coimbra. Iniciou as lides da escrita apenas depois de se aposentar da carreira de bancário. Em 2013 ganhou o Prémio Literário João Gaspar Simões, atribuído pela Câmara Municipal da Figueira da Foz, com o romance Diário de um Carbonário, publicado em 2014. Recebeu também uma 1.ª menção honrosa nos Jogos Florais da Murtosa com o conto A Bicicleta do Juvenal. Em 2014 ganhou a 15.ª edição do Concurso Literário Prémio Dr. João Isabel com o conto O Regresso do Artur. Foi-lhe igualmente atribuído o 1.º prémio da XI.ª edição do Concurso Literário Descobrir Vizela com o conto O Brasileiro de Vizella.




A Tomada de Madrid
Mário Silva Carvalho
Saída de Emergência

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.