Correio do Minho

Braga, terça-feira

A Jovem Noiva

Falar bem, Escrever melhor

Literatura

30 Março 2016

Estamos em 1900. A jovem Noiva chega. Vem de longe e a sua nova família acolhe-a distraidamente na elegante mansão de campo. O Filho (e noivo) está ausente, cuidando dos negócios familiares.

Todos os dias, durante a manhã e pela tarde dentro, o Pai, a Mãe, a Filha e o Tio juntam-se em torno de um festivo e extravagante pequeno-almoço, sempre com muitos e variados convivas ocasionais: celebram a vida e o terem escapado às garras da morte, que durante gerações levou os homens e as mulheres da família, sempre nas horas noturnas. O leal mordomo Modesto é quem garante os hábitos e os ritmos desta excêntrica comunidade.

Entretanto, tudo converge cada vez mais intensamente para a espera do Filho, que tarda. E enquanto isso, a inquieta e curiosa noiva vai entrando nos segredos e mistérios da história da família.

A Jovem Noiva envolve o leitor num ambiente quase onírico, de sedução e de mistério. Altamente sugestivo e nunca previsível.



O autor:
Alessandro Baricco nasceu em Turim, em 1958. Os seus romances receberam inúmeros prémios e alguns foram adaptados ao cinema, como por exemplo Seda (a reeditar em breve pela Quetzal), cujo filme estreou em 2007 e contou com a participação de Keira Knightley, entre outros.
A Quetzal publicará outros títulos ainda inéditos em Portugal, entre eles, Tre volte all’alba e Mr. Gwyn.



A Jovem Noiva
Alessandro Baricco
Quetzal

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.